3 dicas de gestão: mude hábitos e diminua desgaste, erros e retrabalho

3 dicas de gestão para mudar hábitos

Sobre conforto, rotina e mudanças

A rotina é uma série de hábitos que dão uma estrutura para os nossos dias. Se essa estrutura nos faz bem ou não, aí depende do caminho que traçamos; por vezes, é o único o que conhecemos e, então, além de cômodo, pode parecer solidificado demais para a mudança, mas spoiler: não é.  

Por detrás do que parece uma atitude rígida, existe, também, o conforto de saber como vai ser o processo. E como adoramos ter conforto. Aliado a uma forma de controle então, parece o ideal… Mas não é porque a rotina nos é familiar que é a única ou sequer a correta. 

No trabalho não poderia ser diferente, porque, por mais que façamos a separação de quem somos em cada ambiente, ainda somos nós em qualquer lugar

E no ambiente de trabalho isso se expande, porque cada pessoa traz seu jeito e seus hábitos, o que cria um verdadeiro organismo com as características de cada um, sendo a soma das melhores partes, das piores ou da não-questionada, a historinha também conhecida como… 

"Sempre foi assim e sempre vai ser"

Nesse esquema, as tarefas são feitas mesmo que tenha falta de controle de fluxo, sobrecarga, ruídos na comunicação, multas, perdas de prazos. 

Desgaste, erros e retrabalho: É a tríade que dá nome ao texto aparecendo, pois: 

  • O desgaste surge devido ao cansaço
  • O cansaço gera desatenção, deixando as pessoas mais propensas aos erros
  • Os erros levam ao retrabalho, o que gera mais desgaste e… bom, você entendeu. 

Ok, o trabalho é feito, no fim acaba dando certo, mas há uma percepção de que pode ser melhor, então começamos ter a visão desse ciclo nocivo  —  só que ainda nos sentimos presos aos hábitos.

É quando começamos a ter noção de que, essas rotinas, mesmo velhas conhecidas, mais atrapalham do que ajudam e então vem a confirmação de que é um problema. 

A primeira coisa que acontece é que, quando percebemos um problema, já podemos começar a pensar na solução para ele. Se queremos a mudança, a transformação é difícil… E possível! 

Essa vontade de mudar de hábitos, quando em conjunto, pode aumentar o apoio e o comprometimento. 

Agora que os primeiros passos foram dados, é hora de focar no que precisa ser corrigido e definir um objetivo

1) Não esqueça: O hábito é como um efeito dominó

No livro O Poder do Hábito de Charles Duhigg, o autor dá exemplos de como pequenos hábitos acabam influenciando vários outros. Como, por exemplo, a curto prazo decidir que se quer estar com uma condição mínima de saúde para acompanhar uma trilha e acabar, a longo prazo, parando de fumar e virando uma maratonista.

2) Tenha uma conversa inicial franca com a equipe

Numa conversa em grupo, os problemas apontados têm de ser vistos como algo de todos e não pessoal. O foco é mudar os hábitos para que a rotina no trabalho fique melhor. Esse processo é gradual, então mantenha aberto o canal de comunicação e de feedback e lembre-se do objetivo decidido e da motivação mútua. 

O desconhecido causa medo e pode parecer mais trabalhoso mas, lá na frente, ao olhar pra trás, vai ser recompensador. 

Celebrar os novos hábitos — e em equipe, vai ser melhor ainda. 

3) Divisão de tarefas e visão do todo

É muito provável que você tenha passado pela seguinte situação quando esteve na escola: Um trabalho em grupo onde cada um fazia uma parte e depois juntavam tudo no final. Como ninguém conversava direito, esse trabalho se tornava todo desconexo e repetitivo, quando não fora do tema proposto. 

Agora, adultos que somos, vamos partir do princípio que existe uma busca por um método de controle além da divisão de tarefas, que pode ser: 

  • Anotar num quadro onde todos tenham acesso 
  • Escrever em post-its e colar numa parede
  • Um quadro de tarefas online
  • A boa e velha ordem do dia impressa

Essas são formas onde cada pessoa vai ter acesso ao todo e saber/avisar em que passo se encontra. Aqui, não tem jeito, é tentativa e erro, mas arriscar já é quebrar um padrão e, medindo os erros e acertos, vai ficando mais fácil acertar e implementar o que funciona de vez  — ou até a próxima mudança. 😉

Se você quiser se aprofundar mais no assunto, confira nosso post sobre automatização e sobre o método kanban.

One Response